22.2.17

Não mate o melhor que há em você!


Você caminhava no rumo certo,
sempre teve boa educação;
família e bons amigos por perto,
não faltava-lhe amor, carinho e afeição.

O tempo foi passando, você foi crescendo;
o mundo mudou, sua vida mudou;
outros amigos você foi conhecendo
e, drasticamente, sua mente se transformou.

Na escola te ensinaram uma história errada
onde bandidos e assassinos viraram heróis;
Marighela, Lamarca, Lenin, Fidel, Che Guevara;
homens que por tão pouco matariam qualquer um de nós.

Te ensinaram também que a família já era,
que não passa de uma instituição falida;
te ensinaram que a política de esquerda é sincera
e que é o melhor caminho político para nossa vida.

Veja só, que absurdo, você acreditou nessa mentira,
nem mesmo quis estudar a fundo os dois lados;
despejou na sociedade toda a sua ira,
agindo como um tolo em sua luta contra o Estado.

Hoje você é um partidário militante engajado,
defendendo suas tantas bandeiras e causas sociais;
deixou a família e os bons amigos de lado,
colocando em primeiro plano suas ideias radicais.

Você diz que está lutando por um mundo melhor
e que a sociedade um dia vai lhe agradecer,
mas você está se tornando uma pessoa pior,
matando aos poucos o melhor que há em você.

Meu amigo, pare por um momento, faça uma reflexão:
será que vale a pena ser assim tão radical?
Estás a envenenar sua mente e também seu coração,
pois tudo o que defendes caracteriza o mal.

Você tem uma vida toda pela frente,
mas não se esqueça: passa rápido demais;
por mais que hoje estejas feliz e contente
amanhã nunca se sabe o que reserva nosso mundo voraz.

Não faça da sua vida uma tragédia anunciada;
defenda o que é bom, lute por algo realmente justo.
Pare de perder tempo com ideias erradas
antes que a vida lhe cobre um alto e amargo custo.

Não existe remédio para o arrependimento,
mas existe o perdão autoconsciente e também corretivo;
evite o caminho da mentira que só lhe trará sofrimento,
mate esse inimigo que reside aí contigo...

o inimigo que aos poucos vai matando a cada novo amanhecer
tudo aquilo que ainda há de nobre, belo e sensato que existe em você.



Renato Oliveira                  07 de fevereiro de 2017


8.2.17

O caos no Espírito Santo


Um dia, em meus tempos de subversão e rebeldia, cheguei a pregar e acreditar na Anarquia, em um mundo "sem governo, sem patrão, sem Deus e sem polícia". 
Eu realmente acreditava que este seria o mundo ideal para se viver. Um mundo onde não houvesse o poder e a autoridade de um homem sobre o outro. Eu achava que a Revolução Social como meio de implementar um regime socialista libertário só traria mudanças benéficas à humanidade como um todo. Em outras palavras, eu era alguém que acreditava em uma UTOPIA, uma doutrina política inaplicável (aqui no blog tem vários textos pessoais que retratam essa minha mentalidade da época - anos 1990 e início dos anos 2000). *
Quando deixei de acreditar no Anarquismo, passei imediatamente a defender o Comunismo e demais ideias da esquerda. Que evolução hein! Claro que não.
Felizmente não demorou muito para me dar conta que a esquerda política só defende aquilo que é ruim e que em NENHUM LUGAR DO MUNDO o Comunismo Socialista ou Científico deu certo. Foram (ou são) muito, muito piores que os governos de Direita. E isso é inconteste em todos os sentidos. Só não vê quem não quer.
Por aqui o PT e sua corja deixou isso muito explícito, já que aqueles que no passado eram vistos como os 'salvadores da pátria' simplesmente arruinaram o país e protagonizaram o MAIOR ESQUEMA DE CORRUPÇÃO DO PLANETA! Muito me admira que ainda não tenham prendido o chefe de todo esse esquema sujo, o psicopata inescrupuloso que até no caixão de sua esposa teve a cara de pau de fazer campanha e insinuar que ela morreu por causa da Lava Jato! Como alguém ainda consegue acreditar em um crápula cretino desses?

Mas, enfim, o caos no Espírito Santo é o maior tapa na cara dos 'esquerdopatas' que defendem a desmilitarização da polícia ou até mesmo o fim da instituição policial - que na realidade são os mesmos que defendem o comunismo ou o anarquismo, o fim das religiões, a liberação do aborto e todas as merdas que a esquerda costuma escudar. 
Esses esquerdistas mais radicais certamente se juntariam aos saqueadores que estão roubando lojas e outros estabelecimentos comerciais no ES. Aliás, falando nisso, é deprimente ver cidadãos que tanto criticam a criminalidade, incorporar o espírito de "a ocasião faz o ladrão" e se juntar aos bandidos que arrombam e saqueiam lojas - homens, mulheres e até crianças! A imagem de pessoas correndo com sacolas e mercadorias roubadas é VERGONHOSA. A que ponto chegamos!

Eis aí uma pequena amostra de como seria o mundo pintado pelos 'esquerdopatas'. Em 4 dias foram mais de 80 ASSASSINATOS, dezenas de roubos, assaltos, etc...  Em apenas um dia foram 200 FURTOS E ROUBOS A VEÍCULOS na capital (Vitória).
Comércio fechado, postos de saúde, escolas, faculdades... Prejuízo de mais de 4 milhões e meio de reais para o comércio.
As ruas estão desertas em plena luz do dia. A população está apavorada. O cidadão de bem esta preso e os bandidos estão soltos. E tudo isso em menos de uma semana, tudo isso em um único Estado!

Mas, a grande ironia (ou o cúmulo) maior disso tudo é ver agora alguns esquerdistas tentando propor soluções para o caso. Absurdo! Como assim?! Se são exatamente eles que pregam que a polícia não serve pra nada e que na melhor das hipóteses deve ser desmilitarizada. Se são essas mesmas pessoas que costumam gritar frases de efeito contra a polícia em suas manifestações (ou seria quebra-quebra disfarçado de protesto?). Hipócritas e demagogos!

Veja bem, não estou questionando a ilegalidade (ou não) da greve e nem tampouco a eficácia da Polícia Militar do Espírito Santo (até porque não tenho conhecimento de causa para falar sobre isso), mas é evidente que alguma providência muito séria precisa ser tomada para que esse tipo de episódio não volte mais a se repetir. A população não merece passar por isso. 
A polícia deve sim ser melhor preparada, mas há que se oferecer, sobretudo, melhores condições de trabalho e salários maiores para os policiais, afinal, ser PM hoje em dia é viver constantemente ameaçado pelo perigo real e iminente de ser alvejado por algum bandido. É uma profissão de altíssimo risco, tanto para o policial quanto para sua família. Isso é fato.

Claro que existem policiais péssimos (sei muito bem disso, pois já me deparei com vários em minha adolescência), mas a maioria faz o seu trabalho dignamente, arriscando a vida e às vezes em condições de trabalho deploráveis, cumprindo jornadas excessivas de trabalho.

Mas, já pensou se todos os policiais cruzassem os braços? 

Já pensou se não existisse a polícia?

Já pensou se vivêssemos em um país tal qual almejam os 'esquerdopatas'?

Tente imaginar, não é muito difícil...

Enquanto isso, o Espírito Santo sofre, agoniza...

Que o Espírito Santo recaia sobre o Espírito Santo.


Renato Oliveira              08 de fevereiro de 2017


* Já me perguntaram porque não retirei tais textos punks, anarquistas e esquerdistas do blog. 
A razão é muito simples: em todos eles está a data em que foram escritos, portanto, não vejo motivo para tal, já que sempre faço questão de deixar muito claro que não acredito mais nisso. Além do mais, mesmo que não seja motivo de orgulho pessoal, tais ideias já fizeram parte de minha história.
Esses textos estão aí para provar que a 'esquerdopatia' tem cura e que qualquer um pode se libertar verdadeiramente deste mal.



6.2.17

O zênite da compreensão


Poderei eu, nessas tantas circunstâncias obscuras da vida, perder todas as coisas materiais, todos os familiares, todos os amigos. Poderei eu até perder a saúde, ser superado pelo esgotamento e definhamento físicos.
Enquanto mantiver a lucidez, jamais serei sobrepujado pelo desespero
E mesmo que eu perca completamente essa percepção consciente, jamais estarei abandonado ou entregue à sorte ateística de um fim ilógico e eterno
Há aqueles que embasam toda a sua existência no materialismo e no determinismo dogmático de uma realidade que se detêm apenas às coisas mundanas e passageiras, não muito diferente de um construtor que no fundo almeja que sua obra venha abaixo assim que ele morrer.
E há aqueles que tocados, sobretudo, pela razão existencial, enxergam um propósito maior, além e aquém desta vida. Encaram o tempo como uma ampulheta que ao se esvair os conduzirá para uma nova realidade, onde o próprio tempo não mais terá fim. São estes os construtores que almejam que suas obras sejam apreciadas, enaltecidas, vislumbradas e que sobrevivam por longos anos, independente de estarem aqui ou não.

Estes últimos certamente são muito mais fortes e resilientes que os primeiros diante dos obstáculos e adversidades da vida.
Estes são os que aceitam que há um sentido maior e transcendental em suas existências.
Estes são os que acataram a irrefutabilidade da existência de um ser supremo, criador de todas as criações e criaturas.
Estes são os que absorveram em si a verdade revelada por Cristo, o único e verdadeiro Deus.
Estes são os que têm fé, que é o ápice e o apogeu do entendimento acerca da verdade inerrante incutida nos ensinamentos e preceitos cristãos.



Renato Oliveira         05 de fevereiro de 2017