30.4.16

A verdade é manipulável?



Um ateu me falou: "a verdade é manipulável aos interesses da maioria". Pode ser.
Tudo depende da forma como você enxerga a verdade. 
Do meu ponto de vista não, pois verdade é verdade e mentira é mentira; não existem meias verdades e sim ocultação de fatos ou detalhes (do contrário não seria nem meia verdade, seria mentira). 
A mentira sim é manipulável segundo e conforme os interesses da maioria, e isso sim é um fato.


Para se chegar a uma verdade é necessário também a comprovação de uma série de argumentos e fatores que a incorpore e a embase. A verdade, em si, não pode ser manipulada, mas aquilo que a constitui como um todo pode, ou seja, alguns detalhes podem ser ocultados (pois se forem distorcidos ou deturpados, esta obviamente deixará de ser verdade).

A verdade absoluta é somente aquela que é verdade em todo tempo, aquela que não tem como ser ultrapassada, como por exemplo: precisamos de ar para respirar. Porém, a verdade também se caracteriza por aquilo que esta bem argumentado numa atual realidade, na sinceridade lógica dos fatos. Por exemplo, se meus argumentos forem mais atuais e condizentes com a realidade, estarei mais próximo de uma verdade ou de uma teoria irrefutável do que alguém que se utilize de argumentos ultrapassados para defender uma 'verdade' que não é mais verdade (e que nunca teria sido).


A pseudoverdade é uma 'verdade' defendida com argumentos refutáveis, como por exemplo afirmar que a Terra é plana. Essa foi a 'verdade' que os povos antigos defendiam, porém, como bem sabemos, deixou de ser verdade há séculos. Isso não quer dizer que eles eram mentirosos, afinal, se você não tem conhecimento e muito menos a capacidade de provar uma teoria, significa que você é um mal informado, não um mentiroso. O mentiroso é aquele que mesmo sabendo a verdade ou tendo todos os recursos para conhecê-la, prefere se apegar às teorias que ele julgue convenientes para não se encaixar na verdade. Ou seja, no fundo ele até conhece a verdade, mas seu orgulho (ou mesmo ignorância) não lhe permitem aceitá-la em razão de este ter que abdicar de uma conveniente realidade que ele mesmo criou, ou então pelo simples fato de não querer admitir que esta errado. Este, além de mentiroso, é um acomodado. Mentira e comodismo são irmãos da ignorância; ambos coexistem numa mesma verdade deturpada. Quem tem informação e age como um desinformado, certamente viverá de mentiras e 'meias verdades' pelo resto de sua vida. É uma tendência natural do ser humano querer inventar ou criar 'verdades' para não admitir uma realidade que ele não deseja.


Não se faz uma verdade concreta com conteúdo abstrato ou mentiroso. Por exemplo, uma pessoa afirmar que Deus não existe, baseada no evolucionismo, no darwinismo e no relativismo, certamente sofrerá uma grande derrota se debater com outra que afirme o contrário e que tenha como base o criacionismo e o 'design' inteligente. E nem precisa fazer muito esforço para entender o que estou querendo sugerir. A Teoria da Evolução das espécies tem mais de 150 anos, ou seja, Charles Darwin, com suas limitações científicas da época, não fazia a mínima ideia do quão complexa era uma única célula, visto que o mapeamento do DNA humano surgiu na década de 1950. 
O próprio Darwin afirmou em 1859 que, "se pudesse ser demonstrada a existência de qualquer órgão irredutivelmente complexo, sua teoria se desmoronaria por completo". Pois bem, hoje não só é possível demonstrar a existência desse órgão irredutivelmente complexo, como também experimentá-lo e observá-lo em laboratório. Ele existe e isso é VERDADE. Portanto, a Teoria de Darwin está descredenciada por ele próprio, por suas próprias palavras.


Outro bom exemplo para ilustrar o que quero dizer é que antes da descoberta de que o universo teve um começo, os ateus usavam deste argumento para afirmar que Deus não existia, afinal, se o universo não teve um começo, não havia lógica em dizer que alguém o teria criado. Acontece que quando descobriu-se que o universo teve um começo (com o Big Bang) e não é eterno, os ateus mudaram uma parte do argumento, a que justamente lhes era mais conveniente: passaram a acreditar que o universo tinha uma origem, mas que essa origem, esse começo, não teve um criador. Em outras palavras, o Big Bang aconteceu simplesmente porque o acaso quis!


Então, eu lhe pergunto: quem mais se aproxima da verdade? O ateu que acredita que alguma coisa pode vir à existência à partir do nada e que o universo veio do nada e do acaso, ou o cristão que acredita que toda criação é obra de um criador, que todo projeto é obra de um projetista? 
Tire suas conclusões! 
A mim não resta dúvida nenhuma. A frase "Deus existe" está muito mais próxima da verdade do que da mentira, basta analisar os prós e os contras com imparcialidade e lucidez e pesar ambas as argumentações na balança.


Se você enxerga a verdade de uma maneira mentirosa, ela deixará de ser uma verdade objetiva e comum para virar a sua verdade particular. E isso não seria verdade à luz da verdade, seria no máximo uma mentira disfarçada de verdade ou pior, uma pseudoverdade, uma 'verdade mentirosa', uma inverdade.
O fato de a sua verdade não ser a verdade vista pela ótica de outra pessoa, não vai invalidar ou descredenciar a verdadeira verdade, quer seja esta sua ou da outra pessoa. Ou de nenhuma das duas. Ponto de vista é uma coisa muito diferente de fato constatado. E quanto a verdades que ainda não viraram realidade, ou seja, existem só no campo hipotético ou experimental, aquele que tiver argumentos mais condizentes com a realidade, certamente estará mais próximo da verdade do que aquele que se utiliza de argumentos retrógrados ou já refutados. Justamente por isso deve-se estar atento às novas descobertas e informações. Tem gente que se apega em teorias de mais de um século sem se dar conta que ela já foi remodelada, rechaçada ou abolida há tempos - e isto serve inclusive aos darwinistas.


Muitas antigas verdades passaram a ser lendas ou mitos, porém há mitos e lendas que jamais foram mitos e lendas, muito pelo contrário. Não há como mitificar ou 'lendarizar' uma verdade que não é invenção (Deus, por exemplo), mas há sim como acreditar que uma verdade é lenda, mito ou fantasia.

Cada um acredita naquilo que quer, inclusive nas suas próprias fantasias de que verdades são lendas, de que coisas existem pelo simples acaso e de que algo pode vir à existência à partir do nada.



Resumindo, nenhuma verdade é manipulável segundo os interesses da maioria. A verdade, em sua essência, não é.

Antagonicamente, A MENTIRA É MANIPULÁVEL CONFORME OS INTERESSES DA MAIORIA.


Renato Oliveira            29 de abril de 2016




2.4.16

A mágica origem do TUDO