28.11.12

A Saudade...





A SAUDADE É ALGO QUE GERA UM
DESEJO ARDENTE E INCONTROLÁVEL
DE MATAR, 
EXTINGUIR, 
EXTERMINAR...

EXTERMINAR, 
EXTINGUIR E 
MATAR ELA,

A SAUDADE.






25.11.12

Eternamente Camisa de Vênus




Camisa de Vênus é uma banda de rock brasileiro que foi formada em Salvador em 1980 e encontra-se em atividade até hoje. Fez grande sucesso no cenário brasileiro dos anos 80, sendo uma banda tida como mais "suja" do que as outras pelo seu nome (na época era muito utilizado como sinônimo de preservativo) e pelos palavrões nas letras. Suas principais músicas são Bete Morreu, Eu Não Matei Joana D'Arc, Simca Chambord, Deus Me Dê Grana e Só O Fim.



História
A banda foi formada em 1980 quando Marcelo Drummond Nova, que trabalhava na rádio Aratu em Salvador, conheceu Robério Santana, que trabalhava na TV Aratu. Conversando sobre música os dois descobriram que tinham gostos em comum e decidiram montar uma banda. Marcelo Nova seria o vocalista e Robério Santana o baixista. Robério resolveu chamar seu amigo Karl Franz Hummel para assumir a guitarra base e este, por sua vez, chamou seu amigo Gustavo Adolpho Souza Mullem para tocar bateria. Se juntou ao grupo o guitarrista solo Eugênio Soares.
Nos ensaios, as pessoas que compareciam diziam que o som da banda era muito incômodo. Por isso, Marcelo Nova sugeriu o nome de Camisa de Vênus, por achar preservativo uma coisa muito incômoda.
Após duas apresentações em Salvador, Eugênio Soares sai do grupo e Gustavo Mullem, que queria tocar guitarra solo, chama Aldo Pereira Machado para assumir a bateria. Esta seria a formação que tocaria junta até o primeiro fim da banda, em novembro de 1987.
Com a realização de alguns shows na capital baiana, uma pequena gravadora local, chamada NN Discos, se interessa pela banda e chama-os para gravarem um compacto, com a possibilidade de gravarem um álbum. A banda grava duas músicas em Salvador: Controle Total e Meu Primo Zé. O lado A continha uma música "chupada" de Complete Control do The Clash, mas com uma letra que falava da vida na Bahia. Já o lado B era composto de uma versão da música My Perfect Cousin do The Undertones. O compacto foi lançado em julho de 1982.
Após o compacto, a gravadora decide dar a oportunidade deles gravarem um álbum. Entretanto, com o sucesso de outras bandas do incipiente rock nacional dos anos 80 - o primeiro compacto da Blitz é de 1982, assim como o dos Paralamas do Sucesso e o do Kid Abelha, a Som Livre se interessa em lançar nacionalmente o álbum. Então, Marcelo Nova é chamado para uma reunião com os executivos da gravadora Som Livre, Heleno de Oliveira e João Araújo, pai de Cazuza. Neste encontro, eles expõem um "problema" para Marcelo Nova: o nome da banda atrapalharia a divulgação do primeiro trabalho (nos jornais o Camisa de Vênus era tratado como "Camisa de…"). Eles sugeriram que o nome fosse trocado por outro "melhor". Marcelo Nova diz que aceitaria a troca de nome e propõe que o novo nome seja "Capa de Pica".
Esta reunião selaria o destino do Camisa de Vênus na gravadora Som Livre e o seu primeiro álbum homônimo, lançado em 1983, teria a distribuição prejudicada. O álbum continha a música Bete Morreu, que faria sucesso nacionalmente, mas que, pouco tempo depois, teria a sua execução radiofônica proibida em todo o território nacional pela Censura.
Após o lançamento, a banda fica quase um ano sem gravadora, mas acaba assinando com a RGE. Assim, em 1985, sai o segundo álbum da banda, chamado Batalhões de Estranhos. O disco traz uma banda mais madura e com melhores recursos de estúdio à sua disposição, o que proporciona a realização de um som mais polido e menos agressivo. O segundo álbum da banda traz mais um sucesso radiofônico, Eu Não Matei Joana D'Arc e eles saem novamente em turnê.


Mudança de Gravadora
Ao assistir um show da banda, André Midani (diretor da gravadora WEA, na época) vai ao camarim da banda perguntar o que ele precisava para "contratar aquele insulto". Fica acertado então que o Camisa de Vênus lançaria um álbum com o registro ao vivo de um show da turnê, produzido por Pena Schmidt e lançado ainda pelo selo RGE. Ao analisar o material, eles decidem lançar um show em Santos, realizado no dia 8 de março.
Marcelo Nova, que já tinha experiência de músicas censuradas, decide não enviar o álbum à apreciação da Censura, que continuava em vigor apesar do fim da ditadura militar. O álbum Viva foi lançado em 1986 e, quando estava com cerca de 40 mil cópias vendidas foi recolhido pela Polícia Federal por ordens da censura. O próprio Marcelo Nova presenciou cópias de seu disco sendo recolhidas em São Paulo.
Após este episódio, o álbum teve oito de suas dez músicas censuradas por conterem linguagem inapropriada. Entretanto, com a volta às vendas, apesar da proibição de execução radiofônica e, talvez, devido ao impulso conseguido com as notícias da censura do álbum, suas vendas atingem a marca de 180 mil.
Ainda em 1986, entram em estúdio novamente e gravam o álbum Correndo o Risco, o primeiro pela gravadora Warner. O álbum é produzido por Pena Schmidt continuando a parceria que se encerraria apenas com o fim da banda. Ele vende 300 mil cópias e a música Só O Fim torna-se a mais tocada nas rádios naquele ano. Além da já citada, são destaques do álbum as músicas Simca Chambord e Deus Me Dê Grana.


Término da banda
Após mais uma turnê, a banda se reúne em estúdio para gravar um novo álbum. Chamam Raul Seixas para uma participação, o que resulta na composição e gravação de Muita Estrela, Pouca Constelação. Marcelo Nova e o Camisa de Vênus conheciam Raul desde uma apresentação no Circo Voador, no Rio de Janeiro em 1984, quando foram informados que Raulzito viria vê-los e acabaram tocando uma seleção de covers de clássicos do Rock.
Marcelo Nova e Raul Seixas
Assim, em outubro de 1987, lançam o primeiro álbum duplo do rock nacional, Duplo Sentido. A recepção ao álbum é inferior ao último, talvez em reflexo do grande número de músicas. Apesar disto, as vendas somam cerca de 40 mil, mesmo sem uma grande turnê de divulgação.
Desde o disco anterior da banda, Marcelo Nova vinha pensando em sair para seguir novos rumos. Também as relações entre os membros estavam desgastadas pelos vários anos de convivência. Então, logo após o lançamento deste álbum, ele anuncia à banda que estava deixando o grupo para seguir carreira solo, mas que eles poderiam continuar se quisessem. Entretanto, os demais membros decidem encerrar a carreira do grupo.


Volta em 1995
Em meados de 1995, Karl Hummel ligou para Marcelo Nova querendo voltar com a banda. Para convencer Marcelo Nova disse que tinha ouvido outro dia na TV que o Skank era a "nova sensação do rock nacional" e que, por isso, eles precisavam voltar. Eles chamam Robério Santana para reassumir o baixo, mas Gustavo Mullem e Aldo Machado decidem não participar. Gustavo Mullem estava trabalhando no exterior e Aldo Machado tornou-se cristão e não desejava mais tocar com o Camisa.
Para completar a banda, Marcelo Nova reúne metade do Camisa de Vênus original com metade da sua banda de apoio do álbum A Sessão sem Fim. Assim, completam a formação dois músicos antológicos do rock nacional, Luis Sérgio Carlini na guitarra solo e Franklin Paolillo na bateria, além de Carlos Alberto Calazans nos teclados, músico que acompanhava Marcelo Nova desde a sua saída do Camisa de Vênus.
Carlini havia sido o guitarrista do Tutti Frutti, a banda de Rita Lee nos anos 70 após a sua saída dos Mutantes e Paolillo tocou com Carlini no Tutti Frutti, participando do álbum Fruto Proibido, e também na formação original do Joelho de Porco.
Com esta nova formação o Camisa inicia uma série de shows e assina com a Polygram um contrato para o lançamento de 2 álbuns. Assim, ainda em 1995, gravam um show realizado no Aeroanta, em São Paulo, e lançam o álbum ao vivo Plugado!. O álbum teve boa repercussão, apresentando o Camisa para uma nova geração de fãs.
Para consolidar esta fase, no ano seguinte, a banda entra em estúdio para gravar o disco Quem É Você?. Este álbum conta com a participação de Eric Burdon, lendário vocalista do The Animals, dividindo os vocais com Marcelo Nova e, também, produzindo um cover de Don't Let Me Be Misunderstood. Além disto, conta também com a participação dos Raimundos na faixa Essa Linda Canção, que recebeu grande repercussão na MTV.
Após um ano em turnê, Marcelo Nova decide terminar com o Camisa de Vênus novamente e voltar com a sua carreira solo, no ano seguinte.


Reunião em 2004
Em janeiro de 2004, a banda se reúne para tocar na 6ª edição do Festival de Verão de Salvador e, também, para realizar outros shows. O Camisa se apresenta com Marcelo Nova, Karl Hummel e Gustavo Mullem, da formação original, e mais Lu Stopa no baixo, Johnny Boy nos teclados e guitarra adicional, e Denis Mendes na bateria como banda de apoio.
É gravado um DVD ao vivo com a apresentação do Camisa de Vênus no festival de verão que é lançado no mesmo ano. Ao fim do ano, o Camisa de Vênus volta a se separar.


Reunião em 2007
Em 2007, se reúnem para uma turnê com alguns shows pelo Brasil, e também gravam um DVD ao vivo a partir de um show em Divinópolis. Nesta reunião a banda é formada por Marcelo Nova, Karl Hummel, Robério Santana e Gustavo Mullem, da formação original, mais Luiz Carlini e Denis Mendes.


Sem Marcelo Nova
Agora em 2009, a banda anuncia a volta oficial, porém, não conta com a presença do vocalista Marcelo Nova, do baterista original Aldo Machado e nem do baixista Robério Santana. Ambos foram substituídos por Eduardo Scott (ex-Gonorréia) nos vocais, Louis Bear na bateria, e Jerry Marlon, no baixo. Recentemente, a banda lançou de forma independente a coletânea Mais Vivo do Que Nunca, com Scott interpretando os clássicos que foram eternizados na voz de Marcelo.



Formações
1980
Marcelo Nova: vocal.
Eugênio Soares: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Robério Santana: baixo.
Gustavo Mullem: bateria.

1980-1987
Marcelo Nova: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Robério Santana: baixo.
Aldo Machado: bateria.

1995-1997
Marcelo Nova: vocal.
Luis Sérgio Carlini: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Carlos Alberto Calazans: teclados.
Robério Santana: baixo.
Franklin Paolillo: bateria.

2004
Marcelo Nova: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Johnny Boy: teclados e guitarra.
Lu Stopa: baixo.
Denis Mendes: bateria.

2007
Marcelo Nova: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Luis Sérgio Carlini: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Robério Santana: baixo.
Denis Mendes: bateria.

2009-2010
Eduardo Scott: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Robério Santana: baixo.
Louis Bear: bateria.

2010-Atualmente
Eduardo Scott: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Jerry Marlon: baixo.
Louis Bear: bateria.



Discografia
Álbuns de Estúdio
1983 - Camisa de Vênus
1985 - Batalhões de Estranhos
1986 - Correndo o Risco
1987 - Duplo Sentido
1996 - Quem É Você?

Ao Vivo
1986 - Viva
1995 - Plugado!

Compactos
1982 - Controle Total

Coletâneas
1988 - Liberou Geral
1990 - Bota pra F...
2000 - Pérolas - Camisa de Vênus
2001 - E-Collection - Camisa de Vênus & Marcelo Nova
2006 - Warner 30 Anos - Camisa de Vênus
2011 - Mais Vivo Do Que Nunca


Fonte: Wikipédia







23.11.12

Fórmula da Felicidade


“Se existisse uma
‘fórmula da felicidade’,
certamente seríamos todos
dependentes dela.

Seríamos como drogados e,
portanto,
jamais felizes por completo.”



Renato Curse       10 de setembro de 2.007



16.11.12

Se não hesitares...



"HÁ  DE  VIR  BONS  ARES

SE  NÃO  HESITARES.


HÁ  DE  VIR  PESARES

SE  NÃO  SONHARES,


SE  NÃO  ACREDITARES,

SE  NÃO  AMARES..."




Renato Curse        abril/2.001


15.11.12

Eternamente Zé Geraldo




José Geraldo Juste, conhecido como Zé Geraldo, (Rodeiro, 9 de dezembro de 1944) é um cantor e compositor brasileiro, e pai da cantora/compositora brasileira Nô Stopa.
Nascido em Rodeiro, uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, foi criado em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, também em Minas, de onde saiu, aos dezoito anos, para estudar e trabalhar em São Paulo.
Nos anos sessenta, sofreu um acidente automobilístico, que acabou com seu sonho de jogar futebol profissionalmente. Ficou internado durante um ano num hospital em Carangola, onde aprendeu os primeiros acordes e desenvolveu o lado compositor. Durante dois anos, fez fisioterapia na cidade de Santos. Nessa mesma época, trava conhecimento de uma banda que tocava em bailes, da qual passa a fazer parte - cantando em inglês.
Na década seguinte forma-se em Administração, enquanto tocava em bailes. 
Após alguns anos, tendo adquirido alguma experiência de palco, decide participar de festivais de música, sem deixar o emprego de executivo. 
No ano de 1978, participa do Primeiro Festival de Música da Ericsson no Brasil, e alcança a vitória. É então contratado pela gravadora CBS, abandonando a carreira de executivo e abraçando a carreira artística.
Em seu álbum Terceiro Mundo, fez grande sucesso nacional com a música “Cidadão”, regravada, entre outros intérpretes, pelo paraibano Zé Ramalho e pelo cantor Sílvio Brito.
Suas canções como "Rio Doce" e "Milho aos Pombos" tornaram-se conhecidas após concorrerem nos festivais de música realizadas pela Rede Globo no início dos anos oitenta. Nesta década, devido ao fato de ser fiel ao seu estilo musical, abandona as grandes gravadoras e torna-se artista independente.
Pelo fato de ter sido criado na cidade de Governador Valadares, e portanto ter laços com a cidade, no dia 3 de julho de 2007, recebe o título de "Cidadão Valadarense". Também em decorrência disso, sua canção "Rio Doce" tornou-se o hino da cidade.
Pouco depois, lançou CD/DVD intitulado Um Pé no Mato, um Pé no Rock, no qual faz referência a suas principais influências musicais, Tião Carreiro e Bob Dylan.
Em maio de 2008, foi lançado o mais recente trabalho, intitulado Catadô de Bromélias, o qual inclui uma versão em português da música "Mr. Tambourine Man", de Bob Dylan, e uma nova parceria, com o cantor e compositor Zeca Baleiro, "Na barra do seu vestido".


Discografia
Cidadão 30 e Poucos Anos - CD e DVD Ao Vivo - Sol do Meio Dia - 2011
Catadô de Bromélias - Sol do Meio Dia - 2008
Um Pé no Mato, um Pé no Rock (Ao Vivo)- Sol do Meio Dia - 2006 (também em DVD)
Tô Zerado – Sony - 2002
O Novo Amanhece (Ao Vivo)– Kuarup - 2000
No Meio da Área – Paradoxx - 1998
Acústico (Ao Vivo) – Paradoxx - 1996
Aprendendo a Viver – Eldorado -1994
Ninho de Sonhos – Eldorado - 1991
Viagens & Versos – Eldorado - 1990
Poeira e Canto (Ao Vivo) - Vaqueiros Urbanos/Eldorado - 1988
No Arco da Porta de Um Dia – Arca - 1986
Sol Girassol – Copacabana - 1984
Caminhos de Minas – Copacabana - 1983
Zé Geraldo – CBS - 1981
Estradas – CBS - 1980
Terceiro Mundo – CBS - 1979
Zegê e The Silver Jets – Rosenblitz - 1970


Participações
Em 2002, participou da gravação do CD "Clima de Rodeio", da banda country capixaba Dallas Country, na música "Como Diria Dylan".

Fonte: Wikipédia 







Amor / Ódio / Excesso...



“NÃO AME EXCESSIVAMENTE,

A MENOS QUE TAMBÉM SEJA

EXCESSIVAMENTE AMADO;

NÃO ODEIE EXCESSIVAMENTE,

MESMO SE EXCESSIVAMENTE ODIADO!”


Renato Curse   01 de julho de 2001


12.11.12

Musa Chuva



Ela exerce um estranho fascínio sobre mim,
me faz desejá-la, querê-la, adorá-la;
quando começa, torço pra não ter fim,
me tira do quarto só para contemplá-la.


Não me contento em vê-la da janela,
quero sentí-la intensa e fisicamente;
seja forte ou seja fraca, é sempre bela,
seja noite ou seja dia, linda sempre.


Muita gente não aprecia o seu show,
muita gente nem sai para vê-la,
mas eu, diferente como sou,
não me contento só em vê-la, quero tê-la.


Às vezes ela vem calminha, de mansinho,
em outras mais arisca e revoltosa;
às vezes vem com o vento, rapidinho,
e sempre me traz essa sensação gostosa.


Pode ser que caia reta ou em curva,
gosto dela de qualquer jeito.
Venha a mim, querida musa chuva
e inunde de alegria o meu peito!



Renato Curse                15 de março de 2007


11.11.12

Eternamente Twisted Sister



Twisted Sister é uma banda de heavy metal dos Estados Unidos, formada em 1972 na cidade de Nova York. A banda tinha um estilo caracerístico, em que a aparência e a apresentação ao vivo era tão importante quanto a música, e seus membros utilizavam batom, pó-de-arroz, sombra, rouge e roupas espalhafatosas, marcas registradas dos integrantes.



História
A cena de um moleque estourando o tímpano dos pais ao tocar rock and roll no volume mais alto do som ficou clássica com o Kiss, mas seus seguidores do Twisted Sister também merecem a analogia: o rock dos anos 70, misturado ao glam e ao grotesco, fez dos filhos de Alice Cooper e Kiss um outro clássico.
Jay Jay French (guitarra), Eddie "Fingers" Ojeda (guitarra) e Kenneth Harrison Neil juntaram-se em 75 e, embora French tenha criado o Twisted Sister em 1972 para fazer cover do glam rock, a banda completou-se em 1976 com a chegada do vocalista Dee Snider, um garoto apaixonado por Led Zeppelin, AC/DC e hard rock em geral, e do baterista Tony Petri.
Em 79, Mark "Animal" Mendoza assumiu o baixo. Mas foi só em 1982 que eles conseguiram um contrato para o primeiro álbum, Under the Blade (com o baterista A. J. Pero), que conquistou os fãs do underground.
You Can't Stop Rock 'n' Roll, de 83, transformou-se em um clássico. Adicionando heavy metal ao seu som, o Twisted Sister consagrou-se na história do rock com o álbum Stay Hungry (84), que continha os hits I Wanna Rock, The Price e We're Not Gonna Take It que, de tão tocados nas rádios e na MTV, saturaram a imagem do grupo.
A banda tornou-se um símbolo para os adolescentes nos anos 80, chegando a ter tanta importãncia nos Estados Unidos que Dee Snider tornou-se garoto-propaganda do governo americano nos anos 80 numa campanha para encorajar jovens a ingressarem no Exército.
Devido a paixão desenfreada de alguns fãs mais afoitos, Dee chegou a fazer um seguro milionário de seus longos cabelos louros (seu cabelo ia abaixo da cintura) e alguns fãs tentavam arrancar mechas durante os shows da banda.
Dee também tem paixão por cinema, e investiu sua própria imagem e dinheiro num filme chamado Mórbido Silêncio, que foi lançado em esquema independente na época. O filme teve o roteiro escrito pelo próprio Snider e tornou-se cult. Robert Englund, o Freddy Krueger de A Hora do Pesadelo fez parte do elenco. Eles ainda lançaram Come Out and Play (85) e Love Is for Suckers, de 87, mas nunca mais alcançaram o sucesso de antes, colocando um fim na banda logo depois.
Em 1999, eles se reuniram para lançar material ao vivo do grupo e, em 2004, rearranjaram seus clássicos do Stay Hungry e os lançaram no álbum Still Hungry. Recentemente saiu um tributo a banda com importantes nomes do hard rock atual. Entre os fãs confessos da banda há nomes como Sebastian Bach, ex-Skid Row, Bret Michaels, do Poison e até Gene Simmons do KISS já teceu comentários elogiosos ao som do Twisted. Em 2007 a banda teve seu clássico I Wanna Rock presente no game Guitar Hero Encore:Rock's the 80'. I Wanna Rock também foi licenciada, em 2002 para o jogo G.T.A Vice City, podendo ser ouvida na própria rádio do game, V-ROCK.


Twisted Sister no Brasil
O Twisted Sister fez um show em São Paulo em novembro de 2009. Essa foi primeira vez que a banda veio ao Brasil. A turnê mundial do Twisted Sister celebrou os 25 anos do disco "Stay Hungry", que apresentou para o mundo clássicos como "We're Not Gonna Take It", "I Wanna Rock" e "The Price".
Em 2010, em nova turnê, a banda retornou ao Brasil, realizando desta vez 2 shows, um em Curitiba/PR, em 26 de novembro, no Curitiba Master Hall e outro em São Paulo/SP, em 27 de novembro, no Via Funchal.


Integrantes
Dee Snider - vocal (1976–1987, 1997–presente)
Eddie Ojeda - guitarra solo & rítmica, backing vocal (1975–1987, 1997–presente)
Jay Jay French - guitarra solo & rítmica, backing vocal (1972–1987, 1997–presente)
Mark "The Animal" Mendoza - baixo, backing vocal (1978–1987, 1997–presente)
A. J. Pero - bateria, percussão (1982–1986, 1997–presente)




Discografia
1982 - Under the Blade - Primeiro álbum da banda, que conquistou grandes fãs de underground.
1983 - You Can't Stop Rock'n'Roll 
1984 - Stay Hungry - Hits: "We're not gonna take it", "I wanna rock" e "The Price"
1985 - Come Out and Play 
1987 - Love Is for Suckers - Hits: Hot Love - I'm so Hot for You - One Bad Habbit
1992 - Big Hits and Nasty Cuts: The Best of Twisted Sister
1994 - Live at Hammersmith
1999 - Club Daze Volume 1: The Studio Sessions 
1999 - We're Not Gonna Take It 
2001 - Club Daze Volume II: Live in the Bars 
2002 - The Essentials
2004 - Still Hungry - Remake de Stay Hungry
2006 - A Twisted Christmas


Fonte Wikipédia 






7.11.12

Eternamente Renato Russo



Renato Russo nome artístico de Renato Manfredini Júnior (Rio de Janeiro, 27 de março de 1960 – Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1996) foi um cantor e compositor brasileiro, célebre por ter sido o vocalista e fundador da banda de rock Legião Urbana. Antes da fundação do grupo que o tornou conhecido mundialmente, Renato integrou o grupo musical Aborto Elétrico, do qual saiu devido às constantes brigas que havia entre ele e o baterista Fê Lemos.
Bissexual assumido, Renato morreu devido as complicações causadas pela AIDS em 11 de outubro de 1996, na época com 36 anos. Amigos do cantor afirmam que o mesmo contraiu a doença após se envolver com um rapaz que conhecera em Nova Iorque, portador da doença, em 1989. Como integrante da Legião Urbana, Russo lançou oito álbuns de estúdio, cinco álbuns ao vivo, alguns lançados postumamente, e diversos singles, escritos em sua maioria pelo próprio. Gravou ainda três discos solo e cantou ao lado de Herbert Vianna, Adriana Calcanhoto, Cássia Eller, Paulo Ricardo, Erasmo Carlos, Leila Pinheiro, Laura Pausini, Biquini Cavadão, 14 Bis e Plebe Rude.
Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, onde Renato Russo ocupa o 25°. lugar.



Biografia
Infância
Até os seis anos de idade Renato viveu no Rio de Janeiro junto com sua família. Começou a estudar cedo no Colégio Olavo Bilac, na Ilha do Governador, zona norte da cidade. Nessa época teria escrito uma bela redação chamada "Casa velha, em ruínas…", que inclusive está disponível na íntegra. Em 1967, mudou-se com sua família para Nova Iorque pois seu pai, funcionário do Banco do Brasil, fora transferido para agência do banco em Nova Iorque, mais especificamente para Forest Hills, no distrito do Queens. Foi quando Renato foi introduzido a língua e a cultura norte-americanas. Em 1969 a família volta para o Brasil, indo Renato morar na casa de seu tio Sávio na Ilha do Governador, Rio de Janeiro.


Adolescência
Em 1973 a família trocou o Rio de Janeiro por Brasília, passando a morar na Asa Sul. Em 1975, aos quinze anos, Renato começou a atravessar uma das fases mais difíceis e curiosas de sua vida quando fora diagnosticado como portador da epifisiólise, uma doença óssea. Ao saber do resultado, os médicos submeteram-no a uma cirurgia para implantação de três pinos de platina na bacia. Renato sofreu duramente a enfermidade, tendo que ficar seis meses na cama, quase sem movimentos. Durante o período de tratamento Renato teria se dedicado quase que integralmente a ouvir música, iniciando sua extensa coleção de discos dos mais variados estilos. Em entrevista, Russo teria alegado que este período fora determinante na formação de sua musicalidade.



Vida profissional
Sua primeira banda foi o Aborto Elétrico, ao lado dos irmãos Felipe Lemos (Fê) (bateria) e Flávio Lemos (baixo elétrico), e do sul-africano André Pretorius (guitarra). O grupo durou quatro anos, de 1978 a 1982, terminando por brigas entre Fê e Renato. O Aborto Elétrico foi a semente que deu origem à Legião Urbana e ao Capital Inicial (formado por Fê e Flávio, junto ao guitarrista Loro Jones e ao vocalista Dinho Ouro-Preto). Após o fim do Aborto Elétrico, Renato começa a compor e se apresentar sozinho, tornando-se o Trovador Solitário. A fase solo durou poucos meses, até que o cantor se juntou a Marcelo Bonfá (baterista do grupo Dado e o Reino Animal), Eduardo Paraná (guitarrista, conhecido como Kadu Lambach) e Paulo Guimarães (tecladista, conhecido como Paulo Paulista), formando a Legião Urbana, tendo Renato como vocalista e baixista.
Suas principais influências eram as bandas de post punk que surgiram na época, especificamente, Renato Russo se espelhava no trabalho de Robert Smith, vocalista do The Cure e especialmente Morrissey que era vocalista da banda The Smiths Após os primeiros shows, Eduardo Paraná e Paulo Paulista saem da Legião. A vaga de guitarrista é assumida por Ico-Ouro Preto, irmão de Dinho Ouro-Preto, que fica até o início de 1983. Seu lugar é assumido definitivamente por Dado Villa-Lobos (que criou a banda Dado e o Reino Animal com Marcelo Bonfá, Dinho Ouro Preto, Loro Jones e o tecladista Pedro Thompson). A entrada de Dado consagrou a formação clássica da banda. À frente da Legião, que contou com o baixista Renato Rocha entre 1984 e 1989, Renato Russo atingiu o auge de sua carreira como músico, criando uma relação com os fãs que chegava a ser messiânica (alguns adoravam o cantor como se fosse um deus). Os mesmos fãs chegavam a fazer um trocadilho com o nome da banda: Religião Urbana/Legião Urbana. Renato desconsiderava este trocadilho e sempre negou ser messiânico.



Morte
Renato Russo, que se declarava católico que fazia seu próprio catolicismo faleceu no dia 11 de outubro de 1996, às 01.15 horas da madrugada, pesando apenas 45 quilos, em consequência de complicações causadas pela AIDS (era soropositivo desde 1989, mas jamais revelou publicamente sua doença). Deixou um filho, o produtor cultural Giuliano Manfredini, na época com apenas 7 anos de idade. O corpo de Russo foi cremado e suas cinzas foram lançadas sobre o jardim do sítio de Roberto Burle Marx. No dia 22 de outubro de 1996, onze dias após a morte do cantor, Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá, ao lado do empresário Rafael Borges, anunciaram o fim das atividades do grupo. Estima-se que a banda tenha vendido cerca de 20 milhões de discos no país durante a vida de Renato. Mais de uma década após sua morte, a banda ainda apresenta vendas expressivas de seus discos pelo mundo.



Discografia
Álbuns solo de estúdio
The Stonewall Celebration Concert (1994)
Equilíbrio Distante (1995)
O Último Solo (1997)

Coletâneas
Série Bis: Renato Russo - Duplo (2000)
Para Sempre - Renato Russo (2001)
Série Identidade: Renato Russo (2002)
Presente (2003)
O Talento de Renato Russo (2004)
O Trovador Solitário (2008)
Renato Russo: Duetos (2010)



Fonte: Wikipédia  






2.11.12

O dia em que a Argentina foi Palmeiras




Em janeiro de 1948, Boca Juniors e River Plate vieram a São Paulo, realizar amistosos contra as equipes da capital. O River chamou atenção especial do público e da imprensa, pois se tratava de "La Máquina", apelido dado à melhor equipe da história do futebol argentino. Um esquadrão de craques que dominou os anos 40, e que infelizmente [para eles...] não pode registrar seu nome na história das Copas, já que as de 42 e 46 foram suspensas, e em 1950 a Argentina boicotou a Copa realizada no Brasil.
Aqui estavam para jogar pelos times argentinos, entre outros: José Manuel Moreno, considerado por muitos especialistas que o viram jogar, como o melhor jogador argentino de todos os tempos. Cinco vezes campeão nacional, marcou 179 gols em 321 partidas.
Angel Labruna, mais do que o craque referência do River Plate, é considerado hoje, e já à época, uma verdadeira lenda do futebol Sul-americano.
Alfredo Di Stefano, eleito pela Revista France Football como o melhor jogador da Europa de todos os tempos, Campeão Europeu de Clubes pelo Real Madrid em 5 oportunidades consecutivas, Campeão Mundial, jogou em 3 seleções nacionais e é um dos 5 melhores jogadores da história do futebol, além de ter sido nomeado Presidente de Honra do Real Madrid.
Aproveitando a estada dos argentinos em São Paulo, foi marcada uma espécie de tira-teima. Os dois grandes times argentinos contra o "Trio de Ferro", expoente máximo do futebol paulista, ou seja, uma verdadeira Seleção Paulista, contra um combinado "Boca-River", uma verdadeira Seleção Argentina. A Seleção Paulista chegou ao Pacaembu preparada para jogar com uniforme todo branco, neutro, enquanto que do outro lado surgiu o impasse. Os jogadores do River se negavam a vestir a camisa do Boca, e vice-versa. A rivalidade impedia tal heresia. À última hora, por interferência do craque Palmeirense, mas Argentino de nascimento, Bóvio, os portenhos decidiram jogar com a camisa do Palmeiras.

Assim, em 21 de Janeiro de 1948, uma verdadeira Seleção Argentina, uma das melhores de sua história entrou no Pacaembu, vestindo o uniforme do Palmeiras, num momento histórico do futebol mundial. É fato que, num certo momento da partida, o ataque com a camisa alvi-verde foi aquele que é considerado uma poesia para os apreciadores da velha guarda futebolistica: BOYE, MORENO, DI STEFANO, LABRUNA e LOSTAU, além de NESTOR ROSSI na "meia cancha", YACONO na defesa e o célebre CARRIZO no gol. Di Stefano, então o melhor jogador do mundo, comandou o ataque com a camisa Palmeirense e ainda fez um gol. O resultado final da partida foi 1x1 e os jornais do dia seguinte comentaram o extraordinário espetáculo técnico acontecido no Pacaembu, na noite de 21 de janeiro de 1948.

Paulistas: Oberdan Caieira (Renganeschi) e Noronha (Turcão) Rui, Zezé Procopio e Valdemar Fiume. Cláudio Cristovão Pinho, Ieso Amalfi, Servilio, Canhotinho e Teixeirinha (Remo)

Argentinos: Diano (Carizzo) Maranti e Dezorzi Yacono, Nestor Rossi (Castelar) e Ramos Boye, Moreno (Corquera), Di Stefano (Sarlanga) , Labruna (Lostau) e Pin

Gols: Servilio e Di Stefano
Árbitro: Artur Janeiro
Arrecadação: cr$ 461.130,00
Local: Pacaembu.

Fonte: Site Museu dos Esportes


PALMEIRAS 1948



Clique AQUI para acessar todas as matérias referentes ao Palmeiras