24/05/2013

Filme: O Expresso da Meia-noite





O EXPRESSO DA MEIA-NOITE conta a dolorosa história de Billy Hayes, um jovem turista americano condenado à prisão na Turquia por sua tentativa tola de contrabandear haxixe para fora do país. Transformado em exemplo por um sistema legal corrupto e vítima de uma diplomacia ineficaz, Hayes é sentenciado a 30 anos e precisa sobreviver à brutalidade impiedosa e à sua própria derrocada rumo à loucura para poder sobreviver e, com esperança, fugir. 
Indicado em seis categorias do Oscar em 1978, e vencedor nas de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora, O EXPRESSO DA MEIA-NOITE é dirigido de maneira vigorosa por Alan Parker (Mississipi em Chamas, Evita), e abrilhantado por interpretações pungentes de Brad Davis, John Hurt e Randy Quaid. Um olhar inesquecível focalizando uma das mais perigosas prisões do mundo e a luta de um homem para voltar para casa.



Direção:  Alan Parker 
Roteiro: Oliver Stone, Billy Hayes (livro), William Hoffer (livro)
Gênero: Biografia/Drama/Policial
Origem: Estados Unidos/Reino Unido
Duração: 121 minutos
Título no Brasil:  O Expresso da Meia-Noite
Título Original:  Midnight Express
Ano de Lançamento:  1978
Estúdio: Casablanca Filmworks
Distribuição: Sony Pictures
Desenho de produção: Geoffrey Kirkland
Fotografia: Michael Seresin
Produção: Alan Marshall E David Puttnam
Edição: Gerry Hambling
Direção de arte: Evan Hercules
Figurino: Milena Canonero
Música: Giorgio Moroder
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos




Elenco
Brad Davis ... Billy Hayes
Irene Miracle ... Susan
Bo Hopkins ... Tex
Paolo Bonacelli ... Rifki
Paul L. Smith ... Hamidou
Randy Quaid ... Jimmy Booth
Norbert Weisser ... Erich
John Hurt ... Max
Mike Kellin ... Sr. Hayes
Franco Diogene ... Yesil
Michael Ensign ... Stanley Daniels
Gigi Ballista ... Chief Judge
Kevork Malikyan ... Prosecutor
Peter Jeffrey ... Ahmet
Joe Zammit Cordina
Yashaw Adem
Raad Rawi
Tony Boyd ... Aslan
Zannino
Mihalis Giannatos ... Translator
Vic Tablian ... Star
Ahmed El Shenawi ... Negdir
Alan Parker ... Long-Haired Man at Airport




__________________________________________________________



O LIVRO


"Expresso da Meia Noite" é a autobiografia de Billy Hayes, um jovem que foi preso por contrabando na Turquia e condenado à prisão perpétua.
Billy, rapaz de boa família e situação financeira confortável, é acusado por carregar drogas.
No início dos anos 70, após uma estada em Istambul, Billy Hayes e Susan, sua namorada, resolvem voltar ao seu país natal, os EUA. Decidem carregar alguns pacotes de haxice presos debaixo de suas roupas. Mas, ambos são apreendidos e Billy é preso. Na penitenciária, imperam a violência, o suborno e a insanidade.

Billy entra em contato com um advogado, de nome Yesil, que tem conexões com o sistema legal turco, supostamente corrupto. O advogado consegue arrancar uma grande soma da família de Hayes, mas ao ser levado a julgamento, o réu é sentenciado a quatro anos de reclusão. Quando faltam apenas 53 dias para ser libertado, o Cônsul americano informa que a Alta Côrte em Ankara acaba de rejeitar sua sentença, decidindo por um novo julgamento. Ao comparecer ao tribunal, Hayes vê sua pena passar de quatro para 30 anos de reclusão. Do menino comportado, passa a bolar planos para fugir do local. Percebe, então, que as únicas formas de sair dali são por morte ou através do "Expresso da Meia Noite", expressão usada para designar fuga. Assim, decide elaborar um plano de fuga juntamente com Jimmy e Max. O romance foi adaptado para o cinema por Alan Parker e o enredo por Oliver Stone.. A trilha é de Giorgio Moroder. O filme recebeu dois Oscar, nas categorias de melhor roteiro adaptado e melhor trilha sonora.



Fonte: Skoob 

10/05/2013

Nunca julgue pela aparência!



“Da boca daquele que lhe aparenta ser o 
mais medíocre e insignificante 
dos seres humanos podem sair as
mais sábias e belas palavras.

Procure nunca julgar ou classificar 
a inteligência de alguém 
pelo que lhe possa aparentar.

Nessa hora cabe mais usar 
os ouvidos do que a visão.”

08/05/2013

Eternamente IRA!



01- Pobre Paulista (Compacto 1983)
02 - Núcleo Base (Mudança de comportamento 1985)
03 - Mudança de comportamento (Mudança de comportamento 1985)
04 - Tolices (Mudança de comportamento 1985)
05 - Envelheço na cidade (Vivendo e não aprendendo 1986)
06 - Dias de luta (Vivendo e não aprendendo 1986)
07 - Flores em você (Vivendo e não aprendendo 1986)
08 - Receita pra se fazer um herói (Psicoacústica 1988)
09 - Pegue essa arma (Psicoacústica 1988)
10 - Tarde vazia (Clandestino 1989)
11 - Nasci em 62 (Clandestino 1989)
12 - Você ainda pode sonhar (Meninos da Rua Paulo 1991)
13 - Campos, praias e paixões (Música calma para pessoas nervosas 1993)
14 - É assim que me querem (7  1996)
15 - Eu quero sempre mais (7  1996)
16 - Nada além (Você não sabe quem eu sou 1998)
17 - Bebendo vinho (Isso é amor 1999)
18 - Teorema (Isso é amor 1999)
19 - Vida passageira (MTV Ao vivo 2000)
20 - Entre seus rins (Entre seus rins 2001)
21 - Superficial (Como um espinho) (Entre seus rins 2001)
22 - O girassol (Acústico MTV 2004)
23 - Mariana foi pro mar (Invisível DJ 2007)

______________________________________________________________


Ira! foi uma banda brasileira de rock and roll, formada em 1981, na cidade de São Paulo. A banda anunciou seu término em setembro de 2007. 


História
Subúrbio
No final dos anos 70, no outono da ditadura militar, Edgard Scandurra, fascinado pelo punk rock e, em busca desse som, ia a shows na periferia da cidade, para trocar informações com o pessoal. Foi então que Edgard e seu amigo Dino resolveram montar uma banda que tocasse punk, sem esquecer de Led Zeppelin e Jimi Hendrix. Nascia aí a banda Subúrbio. Nessa época, Edgard estudava no Colégio Brasílio Machado, onde volta e meia topava com um sujeito esquisito chamado Marcos Valadão Rodolfo, de apelido Nasi. Mesmo sem conhecê-lo, Edgard sentia simpatia pelo modo com que ele se vestia, e num desses encontros os dois acabaram se conhecendo, e ficando amigos.
Mais tarde, Edgard chamou o Nasi para participar do Subúrbio, no festival interno do colégio Objetivo. Nessa época, o grande hit do Subúrbio era "Pobre Paulista", que mais tarde viraria um dos grandes hits do Ira!. Em 1980, Edgard foi convocado para servir o exército, e foi lá onde Edgard iria compor N.B. ("Núcleo Base"), que por sua vez também viraria um grande hit do Ira!, um ano depois (em 1981), Nasi chamaria o amigo Edgard para tocar num show na PUC e ali surgiria o Ira!, ainda sem exclamação, e com nome inspirado no Exército Republicano Irlandês. Completavam a formação o baterista Fabio Scattone, e o baixista Adilson. Dois anos se passaram até que o produtor Pena Schimidt descobriu a banda, nessa época contando com Charles Gavin (viria a se tornar membro dos Titãs) na bateria e Dino (velho companheiro da antiga banda Subúrbio) no contrabaixo, e os levou até a gravadora Warner, onde o Ira! gravaria seu primeiro compacto. O compacto contava com as músicas "Gritos na Multidão" e "Pobre Paulista".


IRA!
Em 1981, Nasi chamaria o amigo Edgard para tocar num show na PUC e ali surgiria o Ira!, ainda sem exclamação, e com nome inspirado no Exército Republicano Irlandês. Completavam a formação o baterista Fabio Scattone, e o baixista Adilson.
Dois anos se passaram até que o produtor Pena Schimidt descobriu a banda, nessa época contando com Charles Gavin (viria a se tornar membro dos Titãs) na bateria e Dino (companheiro da antiga banda Subúrbio) no contrabaixo, e os levou até a gravadora Warner, onde o Ira! gravaria seu primeiro compacto, IRA, que contava com as músicas "Gritos na Multidão" e "Pobre Paulista".


Os Primeiros LPs
Em março de 1985, após trocar Dino por Ricardo Gaspa, e Charles Gavin pelo ex-titã André Jung, o Ira!, com ponto de exclamação, gravaria seu primeiro LP; Mudança de Comportamento. Que conta com 11 faixas, entre elas "Núcleo Base", "Ninguém Precisa de Guerra", "Longe de Tudo" e "Ninguém Entende um Mod".

No ano seguinte, com maior prestígio dentro e fora da gravadora, a banda lançaria o LP Vivendo e Não Aprendendo. O disco, lançado em Setembro, era uma obra prima, trazia grandes hits como "Envelheço na Cidade", "Vitrine Viva", "Pobre Paulista" e "Gritos na Multidão", sendo as duas últimas gravadas ao vivo na Broadway em São Paulo.
O sucesso do grupo se consolidou quando a música Flores em Você entrou na trilha sonora da novela "O Outro" da rede Globo. O disco chegaria a marca de 200 mil cópias vendidas. 
O grupo era aclamado pela mídia, e Edgard Scandurra foi escolhido pela revista Bizz como o melhor guitarrista brasileiro. Edgard, um canhoto sui generis por não inverter as cordas da guitarra, tocava com grande velocidade.
Quatro meses depois, a banda ressurgiria com o lançamento do álbum Psicoacústica, que contava com um instrumental afiadíssimo. Dentre as oito longas faixas estavam "Rubro Zorro", "Manhãs de Domingo", "Farto de Rock 'n' Roll", e um rap de roda "Advogado do Diabo". O disco se tornaria a obra "cult" do Ira!.
No caminho para o quarto disco, Edgard Scandurra gravou um disco solo chamado "Amigos Invisíveis", onde tocava todos os instrumentos.


Década de 90
O primeiro disco da década de 90 foi o Clandestino, que trazia fortes influências do Cinema Novo que produziria bons momentos como "Nasci em 62", Melissa (com a participação especial de Paulo Villaça - Bandido da Luz Vermelha), "Cabeças Quentes" e "Consciencia Limpa".

Renovação e criatividade resultaria no disco Meninos da Rua Paulo. Com "Você Ainda Pode Sonhar", a versão em português da música "Lucy in the Sky with Diamonds", de Lennon e McCartney.
Em 1993 Nasi lança o primeiro disco solo com o projeto paralelo Nasi & os Irmãos do Blues, trabalho este voltado para o rhythm and blues.

Em 1994, o grupo lançou o sexto disco Música Calma para Pessoas Nervosas, obra que viria encerrar um ciclo do Ira! junto à Warner . Esse disco, autoproduzido pelo grupo, teve como destaque a música "Arrastão".
Em 1995, já na gravadora Paradoxx, o grupo lançou o disco 7 (o primeiro CD-ROM da banda, antes eram LPs) com destaque para "É Assim que me Querem". Como faixa bônus, "Nasci em 62", tirada de um show com participação de Arnaldo Antunes. O álbum foi gravado logo após uma turnê de quatro shows no Japão que culminaram com uma apresentação antológica no Club Cittá, templo do Rock no Japão.
No final de 96, Edgard lançou seu segundo disco solo "Benzina", mesclando o rock clássico, já presente no Ira!, com novas tendências de música eletrônica.

Em maio de 1998, o Ira! lança o ousado Você Não Sabe Quem Eu Sou, álbum que incorpora algo da atitude criativa de "Psicoacústica" ao fazer do estúdio um laboratório para a criação de arranjos inusitados, o disco viria receber o prêmio de "Melhor Produção de Rock" da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte).
Deixando a gravadora Paradoxx, o Ira! desenvolve o embrião do que viria a ser seu nono disco ao produzir um CD demo, baseado em covers, que acabaria por conduzir o grupo para a Abril Music. 

Em novembro de 1999 o Ira! lança o aclamado Isso É Amor, CD que rapidamente ganharia as rádios e o prestígio de crítica levando o Ira! a ser considerado pela APCA "O Melhor Grupo de Música Popular de 1999"


Anos 2000 e o Reconhecimento da Mídia
Em 2000. A banda Ira! lança o Ao Vivo MTV gravado no Memorial da América Latina, em comemoração aos vinte anos de sucesso. Não faltam clássicos como "Tolices", "Envelheço na Cidade", "É assim que me querem" e "Flores em você". Seguido desse sucesso de vendagem (cerca de 160.000 cópias em CD e mais de 21.000 em DVD), o Ira! apresenta-se no Rock In Rio III , no ano de 2001, para 250.000 pessoas (o recorde de público no Festival), um dos momentos mais marcantes na carreira da banda.
Ricardo Gaspa lança seu projeto paralelo de surf music "Huntington Bitches".

Em 2001 o grupo lança o CD Entre Seus Rins, apenas com músicas inéditas. Sendo a faixa Entre Seus Rins, que traz o nome do álbum, um grande sucesso.

Depois de preferir continuar atrelada às suas raízes punk e de lançar vários discos nos anos 80 e 90, o Ira! retoma o sucesso com o lançamento do Acústico MTV em 2004, que além de clássicos trouxe quatro faixas inéditas, e também participaçoes de três gerações diferentes na gravação: Paralamas do Sucesso, Samuel Rosa e Pitty. 
Consolidando, ainda mais, o Ira! entre os maiores nomes do rock brasileiro.

Em 2007, retornando a inéditas e ao rock clássico, o grupo lançou o álbum intitulado Invisível DJ. Ao todo o disco contém 12 faixas, com direito a regravação de Feito Gente, composta por Walter Franco na década de 70. Destaque para Mariana Foi pro Mar, tocada ao som de violão numa levada sessentista e Eu Vou Tentar, que se tornou um hit.
Invisível DJ viria a ser o último álbum da banda.



Brigas e término do grupo
No Inicio de setembro de 2007, após brigas com o irmão e empresário Airton Valadão, Nasi retirou-se da banda (indeterminadamente), antes do Ira! entrar de férias, algo previsto para 2008. Em novembro de 2007, o guitarrista da banda, Edgard Scandurra anuncia através de uma conta do site Orkut, que a banda Ira! estava findada e que os membros restantes estariam agora com uma banda nova. Nessa banda a formação seria a mesma do grupo Ira!, exceto o vocal que seria assumido pelo guitarrista Edgard. O nome da banda seria Trio. Porém o projeto foi cancelado antes mesmo de acontecer, conforme informou o baterista Andre Jung, no mês de fevereiro de 2008.
Com isso os ex-integrantes do Ira! assumiram totalmente seus projetos, até então, paralelos. Nasi, segue em carreira solo e já lançou dois discos Onde os Anjos Não Ousam Pisar, de 2006 e Vivo na Cena, indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock Brasileiro em 2010. Frequentemente faz participações em shows de outras bandas e especiais. Edgard Scandurra lançou seu DVD Ao Vivo, é guitarrista da cantora pernambucana Karina Buhr e de Arnaldo Antunes, retomou a banda Smack - outra banda que fez parte no início dos anos 80, além dos projetos Les Provocateurs, Pequeno Cidadão, A Curva da Cintura, ao lado de Arnaldo e o músico de Mali Toumani Diabaté e de participar de shows da banda Cidadão Instigado. André Jung toca na banda F.A.U.T., ao lado de João Gordo, tem o projeto Urban ToTem, e é produtor de bandas novas do pop/rock nacional como Stevens e Manu Gavassi. Gaspa retomou a banda Gaspa & Os Alquimistas e está gravando seu 1º álbum solo com participações de Marcelo Nova e Wander Wildner.


Reconciliação de Nasi com seu Irmão e ex-empresário
No dia 27 de junho de 2012, Nasi e Airton Valadão Júnior, irmão do cantor e ex-empresário da banda, anunciaram à imprensa uma reconciliação após cinco anos de brigas públicas e judiciais. 
Os irmãos pretendem encerrar os processos que moviam um contra o outro e a marca Ira!, que pertencia a Júnior, voltará para Nasi. 
A volta da banda aos palcos não foi anunciada. 
No inicio do ano, em sua página no Facebook e no seu Blog, o vocalista disse que não queria voltar com o grupo, mas estava disposto a retomar a amizade com Edgard Scandurra.




Última Formação
Nasi - Voz
Edgard Scandurra - Guitarra, Violão, e Vocal
André Jung - Bateria e Percussão
Ricardo Gaspa - Baixo


Antigos
Adilson Fajardo - Baixo
Fábio Scattone - Bateria
Victor Leite - Bateria
Charles Gavin - Bateria
Dino Nascimento - Baixo




Discografia
1983 IRA
1985 Mudança de Comportamento
1986 Vivendo e Não Aprendendo
1988 Psicoacústica
1990 Clandestino
1991 Meninos da Rua Paulo
1993 Música Calma para Pessoas Nervosas
1996 7
1998 Você Não Sabe Quem Eu Sou
1999 Isso é Amor
2000 MTV ao Vivo
2001 Entre seus Rins
2004 Acústico MTV
2007 Invisível DJ
2011 Ira! e Ultraje a Rigor - Ao Vivo Rock in Rio


Coletaneas
Geração Pop 1993
2 é Demais 1996
Pop Brasil 1997
2 é Demais - Vol.2 1998
O Melhor da Música do IRA! 1998
E-Collection 2000
Warner 25 Anos 2001
Warner 30 anos 2006
Nova Série 2007
Super 3 2009
Os Maiores Sucessos 2011


Fonte: Wikipédia









04/05/2013

Querer é poder!



QUERER É PODER

quando o que se quer FAZER,


com ou sem PODER


poder-se-ia CONCEBER


em você o dom de PODER


melhor SER, 


ENALTECER, VIVER...


02/05/2013

Os mascotes do Palmeiras



PERIQUITO
O Periquito é o mascote oficial do Palmeiras, adotado desde os seus primeiros anos, quando ainda era Palestra Italia. Segundo o estatuto do clube, o periquito foi adotado como mascote por causa da comum coloração verde e, também, por esse passarinho existir em abundância onde o clube está localizado, além de ser um pássaro de origem brasileira.
Vale lembrar que o mascote nada tem a ver com o personagem da Disney, o Zé Carioca, que é um papagaio. Aliás, o palmeirense é bem mais antigo e foi desenhado em São Paulo.
Depois do Palestra Italia, vários outros clubes que têm a cor verde em seus uniformes, também acabaram adotando o periquito como mascote (entre estes, o Goiás Esporte Clube).





PORCO

O Porco foi adotado como mascote em 1986 e apesar de hoje ser bastante popular entre a torcida, o porco encontrou muita resistência antes de ser assumido pelos torcedores, principalmente os mais velhos. É que antigamente, chamar qualquer palmeirense de porco era uma ofensa gravíssima. Durante a 2.a Guerra Mundial, entre o período de mudança de nome de Palestra Italia para Palmeiras, os rivais chamavam o Palmeiras de porco pelo fato deste clube ser de origem italiana e a Itália ser inimiga do Brasil na guerra. Os fascistas eram chamados de porcos e injustamente o time de futebol do Palmeiras, repito, por ser de origem italiana era assim insultado pelos rivais. E assim, o clube que nada tinha a ver com a guerra foi bastante hostilizado nessa época, simplesmente por chamar-se Palestra Italia; foi obrigado a mudar de nome e, somente pela resistência de seus diretores e torcedores da época, não foi extinto. Essa foi a origem do apelido porco. Outras equipes como o Cruzeiro de Minas Gerais (que aliás, também se chamava Palestra Italia) e o Esporte Clube Pinheiros (que se chamava Germânia) também foram hostilizados dessa forma.

Vale destacar também que no Campeonato Paulista de 1969, o Corinthians perdeu 2 jogadores de seu elenco devido a uma fatalidade. O clube pediu à Federação Paulista de Futebol a inscrição de outros 2 jogadores, porém, os dirigentes do Palmeiras na época, devido a grande rivalidade, foram os únicos que não concordaram. No clássico que sucedeu o episódio, torcedores corinthianos, em protesto ao que chamaram de 'sujeira', soltaram um porco dentro do Estádio Morumbi, durante a partida. Esse acontecimento reacendeu o porco usado como forma de ofensa à torcida palmeirense, o que perduraria vários anos.
Até que, em 1983, o então diretor de marketing do clube, João Roberto Gobbato teve a ideia de assumir de vez o porco como segundo mascote do Palmeiras. Obviamente  a ideia foi de imediato rechaçada e só depois de 3 anos de diálogos, ele conseguiu convencer os diretores do clube de que a sua ideia, além de tirar uma arma dos rivais, serviria também para diminuir a violência entre os torcedores que não aceitavam ser chamados de porcos.
Depois de uma reunião com membros das 2 principais torcidas organizadas, a TUP (Torcida Uniformizada do Palmeiras) e a Mancha Verde, além de alguns jogadores, João Roberto Gobbato conseguiu enfim, permissão para 'lançar' o porco como mascote.
No dia 27 de agosto de 1986, um dia depois de completar 72 anos, no jogo Palmeiras X Corinthians, válido pelo Campeonato Paulista, a torcida gritava nas arquibancadas: "E dá-lhe porco, e dá-lhe porco, olê, olê, olê". O mascote foi 'pé quente' e o Palmeiras venceu o clássico, eliminando o arquirrival da competição. 



A capa da Revista Placar de 10 de novembro de 1986 estampava o atacante Jorginho segurando um porco e a manchete era: O Palmeiras quebra um tabu: "Dá-lhe Porco!". 
Pois é, o tabu estava quebrado e o porco foi enfim, aceito.






HULK

O Incrível Hulk é uma espécie de mascote não-oficial; o personagem da Marvel é constantemente associado ao Palmeiras pelos torcedores, principalmente por causa da sua cor verde, pela força e pela grandeza.
É sabido que quanto mais bravo, mais forte e grande o Hulk fica.










28/04/2013

Os recordistas em vendas de discos no mundo



Elvis Presley

País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1954–1977
Gênero: Rock and roll/pop/country

Vendas estimadas: 1 bilhão




The Beatles
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1960–1970
Gênero: Rock/pop

Vendas estimadas: 1 bilhão




Michael Jackson
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1971–2009
Gênero: Pop/rock/R&B

Vendas estimadas: 750 milhões




ABBA
País de origem: Suécia
Período em atividade: 1972–1982
Gênero: Pop/disco

Vendas estimadas: 370 milhões





Queen

País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1970–1997
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 300 milhões





Madonna
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1982-Presente
Gênero: Pop/Dance/Rock

Vendas estimadas: 300 milhões





Led Zeppelin

País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1968–1980
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 300 milhões



Bob Marley

País de origem: Jamaica
Período em atividade: 1962 - 1981
Gênero: Reggae

Vendas estimadas: 250 milhões




Alla Pugacheva
País de origem: Rússia
Período em atividade: 1965–presente
Gênero: Pop

Vendas estimadas: 250 milhões



Elton John
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Pop / Rock

Vendas estimadas: 250 milhões




Bee Gees
País de origem: Reino Unido/Austrália
Período em atividade: 1958–2003
Gênero: Pop / Disco

Vendas estimadas: 220 milhões



Mariah Carey
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1990–presente
Gênero: Pop / R&B

Vendas estimadas: 200 milhões




Wei Wei
País de origem: China
Período em atividade: 1986–presente
Gênero: Mandopop

Vendas estimadas: 200 milhões



Celine Dion
País de origem: Canadá
Período em atividade: 1981–presente
Gênero: Pop

Vendas estimadas: 200 milhões


AC/DC
País de origem: Austrália
Período em atividade: 1973–presente
Gênero: Hard rock

Vendas estimadas: 200 milhões



Julio Iglesias
País de origem: Espanha
Período em atividade: 1968–presente
Gênero: Latina

Vendas estimadas: 200 milhões




Pink Floyd
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1966–1996
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 200 milhões


The Rolling Stones
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1962–presente
Gênero: Rock / Blues rock
Vendas estimadas: 200 milhões



Nana Mouskouri
País de origem: Grécia/França
Período em atividade: 1958–2008
Gênero: Pop folk

Vendas estimadas: 200 milhões





Herbert von Karajan
País de origem: Áustria
Período em atividade: 1938–1989
Gênero: Música clássica

Vendas estimadas: 200 milhões



Cher

País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Pop / Rock / Dance

Vendas estimadas: 180 milhões



Tina Turner
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1955–presente
Gênero: Rock and roll, pop

Vendas estimadas: 180 milhões



Whitney Houston
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1977–2012
Gênero: Pop / R&B

Vendas estimadas: 170 milhões


U2
País de origem: Irlanda
Período em atividade: 1976–presente
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 150 milhões


Aerosmith
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1970–presente
Gênero: Hard rock

Vendas estimadas: 150 milhões


Genesis
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1967–presente
Gênero: Progressive rock / Pop rock

Vendas estimadas: 150 milhões


Stevie Wonder
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1961–presente
Gênero: R&B / Soul

Vendas estimadas: 150 milhões


Frank Sinatra
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1935–1995
Gênero: Pop / Swing

Vendas estimadas: 150 milhões


Tonico & Tinoco
País de origem: Brasil
Período em atividade: 1930-1994
Gênero: Sertanejo

Vendas estimadas: 150 milhões


Boney M.
País de origem: Alemanha
Período em atividade: 1975–presente
Gênero: Disco

Vendas estimadas: 140 milhões


David Bowie
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 140 milhões


Barbra Streisand
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1960–presente
Gênero: Pop / Adulto contemporâneo

Vendas estimadas: 140 milhões



Bon Jovi
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1983–presente
Gênero: Hard Rock

Vendas estimadas: 130 milhões


Garth Brooks
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1989–presente
Gênero: Country

Vendas estimadas: 128 milhões



Chicago
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1967–presente
Gênero: Pop rock
Vendas estimadas: 122 milhões


Modern Talking
País de origem: Alemanha
Período em atividade: 1984–2003
Gênero: Synthpop

Vendas estimadas: 120 milhões


Dire Straits
Reino Unido
Período em atividade: 1977–1995
Gênero: Rock / Pop

Vendas estimadas: 120 milhões


Bruce Springsteen
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1972–presente
Gênero: Rock

Vendas estimadas: 120 milhões


Eagles
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1971–presente
Gênero: Soft rock / Country rock

Vendas estimadas: 120 milhões


Roberto Carlos
País de origem: Brasil
Período em atividade: 1950–presente
Gênero: MPB / Jovem Guarda

Vendas estimadas: 120 milhões


______________________________________________




OUTROS ARTISTAS QUE VENDERAM MAIS DE 100 MILHÕES DE CÓPIAS


Neil Diamond
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1966–presente
Gênero: Pop / Rock
Vendas estimadas: 115 milhões




Black Sabbath
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1968–presente
Gênero: Heavy metal
Vendas estimadas: 110 milhões




Britney Spears
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1998–presente
Gênero: Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Backstreet Boys
Estados Unidos
Período em atividade: 1996–presente
Gênero: Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Enrique Iglesias
País de origem: Espanha
Período em atividade: 1995–presente
Gênero: Latina
Vendas estimadas: 100 milhões




Guns N' Roses
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1985–presente
Gênero: Hard rock
Vendas estimadas: 100 milhões




A. R. Rahman
País de origem: Índia
Período em atividade: 1985–presente
Gênero: Film score
Vendas estimadas: 100 milhões




Janet Jackson
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1982–presente
Gênero: R&B / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Metallica
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1981–presente
Gênero: Heavy metal
Vendas estimadas: 100 milhões




George Michael
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1981–presente
Gênero: Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Pet Shop Boys
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1981–presente
Gênero: Synthpop
Vendas estimadas: 100 milhões




Phil Collins
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1980–presente
Gênero: Adult contemporary
Vendas estimadas: 100 milhões




Depeche Mode
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1980–presente
Gênero: Electro Rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Duran Duran
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1978–presente
Gênero: New wave / alternative rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Kiss
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1973–presente
Gênero: Hard rock / heavy metal
Vendas estimadas: 100 milhões




Barry White
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1972–2003
Gênero: R&B / Soul
Vendas estimadas: 100 milhões




The Carpenters
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1969–1983
Pop / Soft Rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Scorpions
País de origem: Alemanha
Período em atividade: 1969–presente
Gênero: Hard rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Deep Purple
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1968–presente
Gênero: Hard rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Lionel Richie
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1968–presente
Gênero: Pop / R&B
Vendas estimadas: 100 milhões




Fleetwood Mac
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1967–Presente
Gênero: Pop rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Status Quo
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1967–presente
Gênero: Rock
Vendas estimadas: 100 milhões




The Jackson 5
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1966–1990
Gênero: R&B / Soul / Pop / Disco
Vendas estimadas: 100 milhões




Olivia Newton-John
País de origem: Austrália
Período em atividade: 1966–presente
Gênero: Country / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




The Who
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Rock / Hard rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Billy Joel
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Pop / Rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Dolly Parton
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1964–presente
Gênero: Country / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Rod Stewart
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1962–presente
Gênero: Rock / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Luciano Pavarotti
País de origem: Itália
Período em atividade: 1961–2006
Gênero: Opera
Vendas estimadas: 100 milhões




The Four Seasons
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1960–presente
Gênero: Pop / Rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Kenny Rogers
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1958–presente
Gênero: Country / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Paul McCartney
País de origem: Reino Unido
Período em atividade: 1957–presente
Gênero: Pop rock
Vendas estimadas: 100 milhões




Johnny Hallyday
País de origem: França
Período em atividade: 1957–presente
Gênero: Rock / Pop
Vendas estimadas: 100 milhões




Michiya Mihashi
País de origem: Japão
Período em atividade: 1955–1995
Gênero: Enka / Min'yō
Vendas estimadas: 100 milhões




Charles Aznavour
País de origem: França
Período em atividade: 1936–presente
Gênero: Pop / Chanson
Vendas estimadas: 100 milhões


Perry Como
País de origem: Estados Unidos
Período em atividade: 1933–1998
Gênero: Pop / Swing
Vendas estimadas: 100 milhões



Fonte: Wikipédia